Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

A Água

 

Quando no final do ano passado, a Fundação D. Luís I me telefonou confirmando a Exposição no Centro Cultural de Cascais, a primeira questão que coloquei, foi que trabalhos iria apresentar?
A segunda foi quando os meus dois companheiros de Oficina sugeriram que o tema fosse comum a todos e propuseram ’A Barca’ ou ‘A Barca Revisitada’, dado que eles anos atrás tinham tido uma exposição sobre este tema…
Assim de repente o meu pensamento foi de rejeição imediata à temática. Mas que é que eu tinha a ver com Barcas? O que é que a minha pintura (ou o que me apetece pintar) tem a ver? Nada!
Dei um tempo a mim próprio para reflectir sobre o assunto, antes de dar a resposta. E com o passar dos dias foi-se desenhando na minha imaginação a obra a realizar.
Estava há três anos a trabalhar a temática do Fogo (Imaginação da Matéria) e culminava na Galeria Municipal de Sintra um périplo de dez exposições que tinha feito no Alto Alentejo, no ano de 2007. Que melhor que a ‘água’ para apagar o ‘fogo’ que me consumia há tanto tempo?
Água que permite á ‘Barca’ navegar. Águas claras e cristalinas? Águas escuras e tenebrosas? Águas paradas ou em convulsão? Era a altura de mudar de elemento da natureza. Era a altura de aceitar o desafio e navegar com os meus companheiros nesta ‘aventura’ de uma Exposição dos artistas residentes da [OD] no Centro Cultural de Cascais, sobre o tema genérico ‘A Barca’. [FV] 
artistas residentes [OD]:
[OD] às 10:38
link do post | comentar
2 comentários:
De [OD] a 30 de Maio de 2008 às 15:05
À partida, portanto, és tu quem larga o cais em vantagem. Se aquilo que pretendemos é que na exposição não se veja uma barca, o facto de não a sentires - ou de a teres inicialmente rejeitado - talvez te permita trazer a este projecto um elemento de surpresa adicional. A verdade é que para que isto funcione conviria que cada um de nós começasse por esse processo que para ti foi tão espntâneo - que a recussassemos para a podermos superar e chegar a algo de novo. Se no dia da inauguração eu vir 'um barquinho' será sinal de que fracassámos. [jfx]


De [FV] a 30 de Maio de 2008 às 15:45
Achas? Olha que ainda não sei responder a isso. Mas com o tempo saberei. E depois não encaro esta exposição como uma corrida, mas sim como uma viagem. E uma viagem de que quero vir a gostar de a ter feito. E para ser assim tem de correr tudo muito bem. Mas vai correr… [FV]


Comentar post

mais sobre a [OD]

pesquisar

 

Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Lá Vai Ela - II

UMA BARCA... 3 HOMENS/3 P...

Diário De Bordo

3 momentos de uma barca

A Barca. O Homem do leme ...

8e; 5b; 10j...

AMAR LISBOA DO MAR

Quantas vezes revisitada?...

Documento Oficial

Aguarela

arquivos

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

artistas residentes [OD]

fernando vidal

fernando vidal;

freitas cruz

freitas cruz;

rui aço

todas as tags

links

blogs SAPO

subscrever feeds